Fale conosco pelo WhatsApp

Cirrose hepática: Causas, sintomas e tratamento

Mão segurando um fígado
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)
Por: Publicado em 19/10/2021

Cirrose hepática é o resultado de anos de agressões ao fígado, o que provoca, ao longo do tempo, a substituição do tecido hepático normal por nódulos de tecido fibroso

A cirrose hepática é uma doença crônica e sem cura na qual algumas células do fígado são destruídas ou deixam de funcionar corretamente, resultando na formação de cicatrizes e nódulos de fibrose no tecido. Isso faz com que o fígado tenha seu funcionamento comprometido.

Normalmente, a cirrose hepática é considerada uma fase avançada de outros problemas no fígado, como hepatite viral,  doenças autoimunes, alterações genéticas e uso abusivo de álcool ,já que é necessário que existam lesões frequentes para o aparecimento da doença.

A cirrose no fígado pode evoluir com ascite (água na barriga), sangramento digestivo e com encefalopatia hepática, em que o cérebro pode deixar de funcionar corretamente, causando perda de consciência e confusão mental. Pacientes com cirrose hepática também estão sujeitos a um maior risco de desenvolver câncer hepático.

Causas da cirrose no fígado

A doença pode ser provocada por diversos fatores, sendo os principais:

  • Consumo excessivo e contínuo de bebidas alcoólicas;
  • Doenças virais, como as hepatites B e C. A primeira pode ser evitada por meio da vacinação, e a segunda pode ser curada com os tratamentos antivirais modernos;
  • Hepatite autoimune, entre outras doenças autoimunes do fígado;
  • Uso de alguns medicamentos que podem causar danos ao fígado;
  • Distúrbios do metabolismo: alguns distúrbios do metabolismo podem levar ao aparecimento da cirrose hepática, como, por exemplo, a doença de Wilson. Esta doença é rara, genética e que não tem cura. Ela se caracteriza pela incapacidade do corpo em metabolizar o cobre, havendo acúmulo em vários órgãos, principalmente cérebro e fígado;
  • Colestase crônica: condição em que a bile não consegue ser conduzida do fígado a uma parte do intestino, o que pode ocorrer em decorrência de uma deficiência na produção de bile.

Sintomas da cirrose hepática

A cirrose no fígado é uma doença progressiva que evolui lentamente. No início, não costuma apresentar sintomas, mas conforme o quadro vai se agravando, os pacientes podem apresentar os seguintes sinais:

  • Dor abdominal;
  • Náuseas e vômitos;
  • Amarelamento dos olhos e da pele;
  • Inchaço nas pernas e no abdome, em que algumas veias podem ser visíveis debaixo da pele;
  • Ascite (água no abdome);
  • Urina escura;
  • Constipação;
  • Fadiga e cansaço
  • Hálito com cheiro de amônia;

Diagnóstico da cirrose hepática

O diagnóstico da cirrose no fígado é feito por meio da análise do histórico de saúde da pessoa e de exames laboratoriais e de imagem. Alguns dos exames laboratoriais que o médico solicita são a dosagem das enzimas hepáticas e marcadores da função.

Já os exames de imagem são: a ultrassonografia, tomografia computadorizada e a ressonância magnética.

Como tratar a cirrose hepática

O tratamento para a cirrose hepática visa identificar o agente causador e evitar que a doença progrida. Mudanças alimentares também são fundamentais para controlar a cirrose no fígado, uma alimentação saudável deve ser instituída. Além disso, o consumo de bebidas alcoólicas deve ser proibido. Em casos graves, o transplante de fígado pode ser a única solução.

Ao identificar algum sintoma que possa ser indicativo de um problema no fígado ou de cirrose hepática é muito importante consultar um hepatologista, pois quanto mais cedo for feito o diagnóstico, mais fácil será o tratamento.

Fontes:

Hepatologista Dra.  Mirella Monteiro.

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE