Fale conosco pelo WhatsApp

Hepatologista: quando procurar um?

Encostando estetoscópio em um fígado em miniatura
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)
Por: Publicado em 07/03/2022

Especialista cuida do fígado de seus pacientes, órgão que realiza mais de 500 funções no corpo humano

O hepatologista é um médico que se especializou na prevenção, tratamento e possível cura de doenças que atacam o fígado – um dos órgãos mais importantes do organismo.

O diagnóstico de tais doenças, por sinal, muitas vezes é bastante desafiador, pois os males do fígado tendem a ser, na linguagem empregada pelos médicos, “silenciosos” – ou seja, assintomáticos. É parte das muitas capacidades de um hepatologista superar também esse obstáculo.

A hepatologia, por sinal, é justamente o ramo da medicina que faz o estudo, o diagnóstico, a prevenção e a gestão das doenças que acometem o fígado, a vesícula biliar, a árvore biliar e o pâncreas, como especificado acima.

O termo hepatologia vem da fusão, e da adaptação à língua portuguesa, das palavras gregas hepatikos e logia. A hepatologia, enfim, é o ramo da medicina que zela pela saúde do fígado, e o hepatologista é o seu operador dentro do universo das especializações em medicina.

As doenças tratadas pelo hepatologista

Há certos males que acometem exatamente o fígado. Eles geram, algumas vezes, sintomas (mas, como observado, estes são quase exceções – as doenças hepáticas são, em boa medida, assintomáticas).

Vamos conhecer quais são as principais enfermidades que atacam o fígado?

  • Hepatites – São as doenças do fígado por excelência. Trata-se de lesões neste órgão causadas por elementos tais como infecções virais, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e uso ininterrupto de medicamentos (corticoides e opioides, em especial) que contêm substâncias tóxicas ao organismo.
  • Esteatose hepáticaÉ o acúmulo de gordura no interior das células do fígado. O aumento constante, e por um longo período, do nível de gordura no órgão pode causar uma inflamação, a qual, por sua vez, pode gerar um quadro grave de hepatite gordurosa, cirrose ou mesmo câncer.
  • Cirrose hepática Pode ser descrita como uma fibrose. Surgem nódulos que bloqueiam a circulação sanguínea e o fígado passa a produzir tecido de cicatrização ao invés de células saudáveis. Assim, para de exercer suas funções normais – o que pode levar o organismo todo do doente ao colapso.
  • Câncer do fígado – O hepatocarcinoma, modalidade mais comum de câncer no fígado, pode levar a óbito se não for tratado. É uma das doenças mais agressivas que acometem o órgão.

Quando procurar um hepatologista?

Algumas vezes, o fígado que adoece emite sinais de que as coisas não estão bem.

Você pode suspeitar que tem alguma doença hepática (e procurar imediatamente um hepatologista) quando apresenta um ou mais dos sintomas a seguir:

  • Inchaço abdominal (conhecido como ascite);
  • Olhos e pele amarelados (a chamada icterícia);
  • Fraqueza muscular, sono excessivo, sensação permanente de cansaço;
  • Vômitos com sangue (este sintoma costuma surgir em casos nos quais o fígado já se encontra bastante lesionado).

Lembre-se: o fígado desempenha mais de 500 funções (!) para o conjunto do organismo humano. É considerado pela literatura médica o terceiro órgão mais importante do corpo humano, atrás apenas do cérebro e do coração. É também a maior glândula de nosso organismo, medindo aproximadamente 20 centímetros e pesando 1,5 quilo.

Conhecer, e consultar-se, com um hepatologista de sua confiança, com alguma regularidade (ou diante do eventual aparecimento dos sintomas já descritos) pode representar a diferença entre a saúde e a doença para qualquer homem ou mulher.

A Dra. Mirella Monteiro é uma hepatologista clínica. Formada pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), a e logo foi para a capital paulista, onde realizou sua segunda residência em hepatologia na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Fontes:

Sociedade Brasileira de Hepatologia

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE