Fale conosco pelo WhatsApp

Médico hepatologista: Tire suas dúvidas

Médica hepatologista segura estetoscópio em volta do pescoço
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)
Por: Publicado em 06/01/2022

Médico hepatologista é o mais qualificado para prevenir, diagnosticar e tratar diferentes patologias associadas ao mau funcionamento do fígado. Saiba mais a seguir!

A hepatologia é a área da Medicina voltada à prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças relacionadas ao fígado, sendo o hepatologista o especialista nessa área.

O termo hepatologia tem origem nas palavras gregas “hepatikos” e “logia” que significam fígado e estudo. Dessa forma, a especialidade é entendida como aquela voltada ao estudo do fígado e também de adjacentes, como a vesícula biliar, a árvore biliar e o pâncreas.

A seguir entenda melhor quais as condições tratadas pelo médico hepatologista, quais as diferenças em relação à atuação do gastroenterologista e quando buscar por esse especialista.

Quais as doenças tratadas pelo médico hepatologista?

As doenças do fígado acometem milhões de pacientes, sendo o médico hepatologista o mais qualificado para diagnosticá-las, indicar o tratamento mais apropriado e, em muitos casos, fazem o acompanhamento do paciente para evitar complicações do quadro.

São diversas as patologias hepáticas que causam mau funcionamento do fígado, incluindo:

  • cirroses;
  • esteatose hepática (gordura no fígado);
  • hepatites virais (A, B, C, D e E);
  • pancreatites;
  • hepatite alcoólica e medicamentosa;
  • insuficiência hepática;
  • overdose de drogas/medicamentos, como overdose de paracetamol;
  • icterícia;
  • hemorragia gastrintestinal associada à lesão hepática;
  • alterações enzimáticas que causam fígado aumentado em crianças;
  • esquistossomose;
  • transplante hepático;
  • diferentes tipos de câncer de fígado.

Portanto, são diversas as patologias que acometem o fígado e demandam assistência médica especializada.

Qual a diferença entre o hepatologista e o gastroenterologista?

É comum que haja uma confusão entre as funções do médico hepatologista e gastroenterologista, visto que o fígado também está relacionado ao processo digestivo.

No entanto, o gastroenterologista é o médico voltado às patologias do trato gastrointestinal como um todo,  estômago, esôfago e intestinos e tem menor conhecimento sobre as condições hepáticas, que são o foco do médico hepatologista.

Quando o paciente é acometido por problemas estomacais e intestinais, por exemplo, ele deve buscar auxílio do gastro, que é o mais qualificado para diagnosticar, tratar e acompanhar uma série de patologias, incluindo:

  • gastrite;
  • úlcera gástrica;
  • refluxo gastroesofágico;
  • intolerâncias alimentares;
  • doenças inflamatórias intestinais;
  • síndrome do intestino irritável.

Para a confirmação desses diagnósticos, o gastro pode solicitar diferentes exames médicos como a endoscopia, colonoscopia, ultrassonografia e tomografia computadorizada, por exemplo.

Portanto, as funções do médico hepatologista e do gastroenterologista são distintas, sendo que as motivações para buscar cada profissional também diferem.

Quando procurar pelo médico hepatologista?

O médico hepatologista tem uma formação direcionada ao estudo das patologias hepáticas, sendo mais qualificado para lidar com esse conjunto de distúrbios.

As alterações na função hepática podem ser diagnosticadas em exames de sangue que verificam o funcionamento das enzimas hepáticas e proteínas, sendo que resultados fora do padrão podem indicar presença de alguma patologia que precisará ser investigada.

Além disso, o médico hepatologista pode ser procurado quando estiverem presentes diferentes sintomas que indicam alterações no fígado, como:

  • icterícia que consiste em pele e os olhos amarelados que se deve ao acúmulo de bilirrubina no organismo;
  • dor abdominal e inchaço no abdômen, pernas ou tornozelos;
  • hemorragia gastrointestinal súbita;
  • coceira na pele;
  • urina escura, que indica mau funcionamento do fígado e rins;
  • fezes claras ou esbranquiçadas;
  • fadiga crônica;
  • náuseas;
  • vômitos, que podem conter sangue;
  • hepatomegalia, que consiste no fígado com tamanho aumentado.

Caso esses sintomas estejam presentes é fundamental buscar auxílio do médico hepatologista que vai fazer um levantamento completo dos sintomas e histórico do paciente, a chamada anamnese para verificar as hipóteses diagnósticas.

Posteriormente, serão solicitados exames laboratoriais para verificar a função hepática a partir de marcadores sanguíneos. Em alguns casos podem ser necessários exames de imagem e também biópsia do fígado.

Com os resultados em mãos, o especialista poderá confirmar o diagnóstico, explicando e tirando as dúvidas do paciente sobre a patologia e encaminhando para o tratamento mais apropriado. Agende sua consulta com médico hepatologista aqui!

Fontes:

Hospital Leforte;

Dra. Mirella Monteiro.

 

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE