Fale conosco pelo WhatsApp

Esteatose hepática

Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

O acúmulo de gordura no fígado pode estar relacionado a fatores como obesidade e consumo exagerado de bebidas alcoólicas, sendo necessário cuidado para que o problema não se agrave

Caracterizada pelo acúmulo de gordura no fígado, a esteatose hepática é uma doença crônica bastante comum e que está associada à obesidade, diabetes, colesterol alto, sedentarismo e consumo exagerado de bebidas alcoólicas. Trata-se de uma alteração que pode levar à inflamação e lesão do órgão,  causando cirrose  e até câncer no fígado quando não diagnosticada e tratada de forma efetiva.

Inclusive, atualmente, a gordura no fígado ou esteatose hepática é uma das principais causas de cirrose em todo o mundo. Veja a seguir mais detalhes sobre a condição.

Quais são as causas da esteatose hepática?

As causas da gordura no fígado ainda não são totalmente esclarecidas pela Medicina, mas acredita-se que o problema esteja associado ao desequilíbrio entre consumo e síntese de gordura e sua utilização pelo corpo. Essa desarmonia nem sempre está relacionada apenas à alimentação do indivíduo, podendo ser influenciada por fatores como genética e até mesmo ambiental.

Os principais fatores de risco que favorecem o desenvolvimento do problema são:

  • Obesidade;
  • Diabetes e Hipertensão arterial descontroladas
  • Sedentarismo;
  • Colesterol elevado;
  • Uso de medicamentos específicos;
  • Abuso de bebidas alcoólicas.

É importante lembrar que o indivíduo não precisa necessariamente apresentar alguma dessas condições para ter a esteatose hepática. Embora seja menos comum, pessoas magras, saudáveis e que não têm o costume de abusar do consumo de álcool também podem desenvolver a doença.

Principais sintomas e consequências

Quando está nos estágios iniciais, a esteatose hepática normalmente não apresenta sintomas e a doença é descoberta acidentalmente durante a realização de exames de rotina ou que foram solicitados para investigar outras doenças e queixas do indivíduo. Alguns pacientes podem sentir cansaço e mal-estar, além de perda de peso sem explicação aparente e dor na região superior direita do abdômen.

Quando a doença não é devidamente controlada e há gordura em excesso acumulada de forma crônica no fígado, a esteatose hepática pode causar inflamação e lesão do órgão. Esse quadro é chamado esteato-hepatite, um problema mais grave e que geralmente pode ser dividido entre alcoólico e não alcoólico, dependendo de suas causas. Esta condição pode evoluir para cirrose e câncer hepáticos, tornando-se ainda mais preocupante.

Como é o tratamento da esteatose hepática

O tratamento da gordura no fígado é sempre individualizado, e requer a identificação das possíveis causas da doença. Em geral, é necessário que o paciente faça alterações na dieta, adote a prática regular de exercícios físicos e interrompa o consumo de álcool. Também pode ser necessário investir na perda de peso e controlar doenças capazes de piorar a condição — tais como diabetes, hipertensão e colesterol alto.

Não existem medicamentos que comprovadamente ajudam na redução da gordura no fígado, mas o hepatologista pode recomendar o uso de fármacos para ajudar no controle na administração dos fatores de risco existentes. O acompanhamento médico é fundamental para controlar a quantidade de gordura no fígado.

Para saber mais sobre a esteatose hepática e tirar suas dúvidas a respeito da saúde do fígado, entre em contato e agende uma consulta com a Dra. Mirella Monteiro!

Fontes:

Sociedade Brasileira de Hepatologia;

Hospital Sírio-Libanês;

Hospital Israelita Albert Einstein.

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE