Fale conosco pelo WhatsApp

O que é hepatite B?

Frascos com amostras de sangue
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)
Por: Publicado em 01/09/2021

Entender o que é a hepatite B, quais as formas de transmissão e prevenção da doença é fundamental para reduzir a disseminação dessa doença viral hepática.

A hepatite viral B é provocada pelo vírus da família Hepadna viridae e, um passo importante no suporte à saúde do paciente inclui saber o que é hepatite B, sintomas, formas de prevenção e tratamento.

A hepatite B pode tornar-se crônica, sendo que quanto mais novo o paciente é infectado, maiores as chances de a condição ser permanente: enquanto nos adultos essa chance é de 5%, nos bebês chega a 90%. Estima-se que no mundo haja 257 milhões de pessoas com hepatite B crônica.

Entenda o que é hepatite B

Inicialmente, é preciso saber o que é hepatite B. Trata-se de uma doença infecciosa que acomete o fígado quando ocorre a infecção pelo vírus B da hepatite (HBV). No paciente contaminado, o HBV está presente no sangue e secreções, de forma que a hepatite B é uma infecção sexualmente transmissível.

Em geral, a hepatite B provoca uma infecção aguda no fígado que é suprimida espontaneamente pelo organismo cerca de seis meses após os sintomas iniciais.

No entanto, em alguns casos, a infecção permanece após esse período, sendo classificada como crônica. Como visto, bebês têm mais chances de desenvolver essa versão da patologia do que os adultos. Devido as maiores chances de desenvolver hepatite B crônica, é importante que haja a testagem e acompanhamento pré-natal de gestantes para evitar a transmissão vertical.

Sinais e sintomas da hepatite viral B

Um dos agravantes da condição é que ela é assintomática, sendo diagnosticada após anos ou mesmo décadas, evoluindo de forma silenciosa e favorecendo a disseminação.

Como outras doenças crônicas do fígado, a hepatite B manifesta-se em fases mais avançadas, nas quais os sintomas podem incluir:

  • Cansaço persistente;
  • Tontura;
  • Náuseas e vômitos;
  • Febre;
  • Dor abdominal.

Apesar de a icterícia (pele e olhos amarelados) ser um sinal recorrente em infecções do fígado, ela ocorre em menos de 33% dos pacientes com hepatite B, não sendo um sintoma determinante.

Por ser assintomática por anos, a hepatite B costuma ser diagnosticada tardiamente, de forma que entre 20 e 30% dos adultos com a infecção desenvolvem cirrose e/ou câncer de fígado.

Diagnóstico da hepatite B

É relevante saber que o diagnóstico da condição é simples e pode ser feito, inclusive, com testes rápidos. Utilizando a técnica de imunocromatografia de fluxo lateral, o teste rápido utiliza uma gota de sangue para detecção do antígeno de superfície do HBV (HBsAg), que confirma o diagnóstico da hepatite B. Quando há a presença do HBsAg no sangue por mais de seis meses, caracteriza-se a hepatite viral B crônica.

Prevenção da hepatite B

A hepatite B pode ser prevenida e a vacinação é o método preventivo mais eficaz, sendo que a vacina está prevista no calendário infantil. A vacinação ocorre gratuitamente pelo Sistema único de Saúde  (SUS), sendo disponibilizada para todas as faixas etárias, caso não se tenha recebido as três doses previstas.

Além disso, a hepatite B consiste em uma doença sexualmente transmissível, podendo ser prevenida pelo uso de preservativo durante as relações.

Outras formas de contágio incluem compartilhamento de objetos contaminados, procedimentos de tatuagem e manicure com instrumentos não esterilizados, procedimentos médico-odontológicos e transfusão de sangue ocorrendo apenas quando as normas de biossegurança não são atendidas.

Dessa forma, a atenção aos cuidados de segurança e higiene nesses locais é essencial para reduzir as chances de contágio.

Também pode ocorre a transmissão vertical de mãe para filho, o que pode ser evitada por meio da testagem e suporte apropriado durante o pré-natal.

Tratamento para hepatite B

A hepatite B crônica não tem cura, mas o tratamento inclui medidas de longo prazo para reduzir as chances de complicações (como cirrose e câncer de fígado), como antivirais específicos e mudanças de hábitos, evitando principalmente o consumo de bebidas alcoólicas e a automedicação.

Entender o que é hepatite B, que existem formas de preveni-la e quais são as opções de tratamento é fundamental para um diagnóstico precoce, acompanhamento médico especializado e melhora da qualidade de vida do paciente no longo prazo. Saiba mais sobre as hepatites virais aqui!

Fontes:

Ministério da Saúde;

Centro Estadual de Vigilância em Saúde do Rio Grande do Sul.

 

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE